Chá da castanha do Pará para distúrbios do fígado

Por Katharyne Bezerra em Degustação, Saúde, Sementes

Famosa no Brasil todo, a castanha do Pará é rica em proteínas tanto que a quantidade deste nutriente em apenas duas delas é equivalente a um ovo de galinha.

Também chamada de castanha-do-Brasil, este alimento carrega diversas propriedades medicinais como os poderes antioxidante, emoliente, energizante, hidratante, inseticida, nutritiva etc. Todas elas responsáveis pelos benefícios proporcionados pela castanha ao corpo humano.

Chá de castanha do Pará contra afecções no fígado

O chá produzido com esta planta é indicado para doenças que envolvem o fígado, como os tipos de hepatite, cirroses, doença hepática alcoólica, câncer  de fígado etc.

Chá da castanha do Pará para distúrbios do fígado

Foto: depositphotos

Desta maneira, a bebida consegue amenizar ou eliminar dor abdominal, náuseas e vômitos, perda do apetite, urina escura, coceira na pele, inchaço nas pernas e outros sintomas comuns provocados pelos distúrbios do fígado.

Outros benefícios

  • Cauteriza ferimentos;
  • Hidrata;
  • Evita desnutrição;
  • Funciona como energizante;
  • Limpa a pele.

Preparando o chá desta planta

A castanha do Pará pode ser usada de diversas formas, assadas ou frescas como alimento, através do óleo extraído ou até mesmo com as sementes esmagadas. Contudo, a forma de preparar o chá é por meio da decocção das cascas desta planta. Para isso, coloque um litro de água filtrada no fogo. Em seguida, acrescente as cascas picadas.

Tampe o recipiente e deixe ferver. Depois que o líquido entrar em ebulição, espere cinco minutos para desligar o fogo. Finalize coando, assim o chá estará pronto para ser consumido. A dica geral é consumir até três xícaras por dia, sem açúcar, adoçante ou mel.

Cuidados essenciais

Não há nenhum efeito colateral conhecido pelos estudiosos causados pelo chá feito com as cascas de castanha do Pará.

Contudo, é indicado procurar um  médico para saber qual o problema de saúde enfrentado pelo paciente e consultar a opinião do especialista sobre a utilização deste remédio natural, principalmente com relação a quantidade ideal para cada situação.

Vale ressaltar que o chá jamais pode ser ingerido em excesso, para não colocar em risco outras funcionalidades do corpo. Outras recomendações levam em consideração pacientes como grávidas, lactantes e crianças menores de 12 anos. Em todas estas situações o uso deste chá deve ser evitado, por ainda não existirem estudos que provem benefícios ou malefícios desta utilização.