Chá de Alamanda da Flor Grande e seus benefícios

Por Robson Merieverton em Plantas, Saúde

Uma flor amarela, vistosa e que enche os olhos. Certamente você já deve ter se deparado com uma dessas por aí. Trata-se de uma planta chamada alamanda da flor grande, espécie da família das Apocynaceae.

Ela é uma trepadeira arbustiva, ornamental e lactescente com folhas verticiladas que também tem propriedades de cura.

A planta também é conhecida por dedal-de-dama, carolina, alamanda-amarela, buiussu, camendará, cipó-de-leite, comandara, orélia, quatro-patacas amarela, orélia-grandiflora, purga-de-quatro-pataca, quatro-pataca, quatro-pataca-amarela, santa-maria, sete-pataca.

Chá de Alamanda da Flor Grande e seus benefícios

Foto: depositphotos

A alamanda da flor grande chama atenção pela beleza. Suas flores são amarelo-citrinas ou alaranjadas. Ela é nativa do Brasil da região costeira do norte, nordeste e leste do país. O fruto é formado por uma cápsula, com poucas sementes. A planta também possui princípios tóxicos, combatendo cochonilhas e pulgões.

Benefícios para a saúde

A parte que é usada com propósitos medicinais é a casca ou a seiva da casca. Seu chá tem efeito purgativo, pode ser usado para combater tumores do fígado e vermes intestinais. Ela também combate moléstias do baço, intoxicação saturnina, cólicas dos pintores ou cólicas de chumbo.

Chá de alamanda da flor grande

Para preparar o chá da alamanda da flor grande, separe uma xícara de água e uma pequena porção da casca seca da planta. Ferva a água. Quando ela estiver em ebulição, acrescente a parte de planta e deixe ferver por cerca de 10 minutos. Depois, desligue o fogo e deixe esfriar. Coe e ingira.

Efeitos colaterais

A planta inteira é considerada tóxica, particularmente o látex. Por isso, tenha cuidado ao consumi-la. Para utilizar os efeitos curativos da planta, antes procure um médico.

Seu uso em excesso pode trazer alguns problemas para a saúde, como náuseas, vômitos, cólicas, diarreia e, consequentemente, desidratação. Em alguns casos, os pacientes podem sofrer choques provocados pela perda de líquido no organismo.