Chá de algodoeiro – Um amigo da saúde da mulher

Por Helena Silva em Plantas

O algodoeiro (Gossypium herbaceum) é uma planta da família Malvaceae utilizada na medicina natural de maneira ampla. Especula-se que a mesma tenha se originado na Ásia, embora haja registros de muito tempo atrás, 500 a.C., que falam sobre seu cultivo já em países como China, Índia e Egito. Falando de Brasil, o algodoeiro foi trazido para terras tupiniquins por volta do século XVIII. É um tipo de arbusto que possui ramificações, folhas longas e que dá origem à frutos solitários e de coloração amarela. Hoje em dia já foram constatadas cerca de quarenta espécies diferentes desta planta nativas das regiões tropicais e subtropicais.

Planta do algodão - Algodoeiro

Foto: Reprodução

Nos EUA as cascas de suas raízes já foram bastante utilizadas como indutoras de trabalho de parto ou agindo como forma eficaz de estancar o sangue pós-parto. Na China, suas sementes já foram utilizadas como anticoncepcionais masculinos, pelo fato das mesmas serem relacionadas à infertilidade.

Tratando-se de medicina, seu chá é bastante indicado para casos clínicos diversos, especialmente para a substituição do leite materno, quando em falta, podendo assim, a partir do segundo ou terceiro dia se observar a produção do leite materno em maior quantidade. Quimicamente falando é composta por furfurol, serotonina, óleos essenciais, resina, tanino, fenóis, ácidos orgânicos, vitamina E e fitosteróis.

O algodoeiro, além de funcionar como remédio, também surge como responsável para a fabricação do algodão.

Para que é indicado o algodoeiro

  • Aumento de produção de leite materno,
  • Diminuição de hemorragias uterinas,
  • Diminuição da espermatogênese,
  • Melhora dos níveis de colesterol,
  • Diminuição do tamanho da próstata,
  • Casos de infecção renal, reumatismo ou diarreia,
  • Diminuição de menstruação abundante.

Chá – receitas e ingredientes

Para realização do chá, utilize duas colheres de sopa da planta para um litro de água mineral. Deixe ferver por cerca de dez minutos. Em seguida, coe e beba o chá, de preferência morno, três vezes ao dia.

Seja cuidadoso: contraindicações

Não ministrar o chá de algodoeiro em casos de mulheres que desejam engravidar devido à presença de carapsina nos princípios ativos do algodoeiro. A ingestão desse líquido faz com que o óvulo não implante corretamente no útero.

Em alguns casos raros e isolados o efeito do chá de algodoeiro não surte o efeito esperado, aumentando o fluxo menstrual ao invés de diminui-lo. Caso isto aconteça, o uso do chá deve ser interrompido e um médico deve ser consultado.