Chá de calaguala para tratamento intestinal e expectorante

Por Natália Petrin em Plantas

Calaguala, de nome científico polypodium lepidopteris, é uma planta que pertence à família das polypodiaceae, que é popularmente conhecida também como samambaia guaçu, feto macho, huayhuashi-shupa, entre outros. Trata-se de uma planta ornamental e herbácea que possui a raiz como um rizoma tortuoso e carnudo que permanece semienterrado e recoberto de pecíolos remanescentes marrom-escuros, produzindo fibras radiculares longas.

Sua folhagem nasce em formato de coroa, podendo atingir entre 60 centímetros e 1,5 metros de comprimento. Cada uma das folhas é bipinada, alterna, séssil, subdividida em segmentos e oblongo-lanceoladas. Quando vão nascer, as folhas surgem enroladas e espiraladas, além de estarem cobertas com uma penugem finíssima. Se abrem durante seu crescimento e são cobertas com duas linhas de esporângios castanho avermelhados.

Natural da Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul em suas áreas temperadas, a planta se espalhou ao redor do mundo e vem sendo usada na medicina tradicional para diversos fins.

Chá de calaguala para tratamento intestinal e expectorante

Foto: Reprodução/ internet

Benefícios e propriedades da calaguala

A planta pode ser usada como uma forma de tratamento para os parasitas intestinais, sangramento nasal recorrente, sangramento menstrual pesado, feridas, vermífugo veterinário, psoríase, vitiligo, dermatite, esclerose múltipla, asma, dores reumáticas, bronquite com secreção espessa. Tem propriedades expectorante, hepática, hipotensiva, peitoral, sudorífica, tônica, antirreumática, anti-inflamatória, antiasmática, entre outras.

Cuidados e contraindicações

Apesar de não haver relatos sobre o caso de uso na gestação e na amamentação, recomenda-se evitar o consumo. A planta deve ser evitada por pacientes com distúrbios da coagulação, evidência de sangramento, diarreia crônica, alergia à samambaia, diabéticos e cardíacos.

A planta, por ser rica em salicilatos, não deve ser consumida junto com anti-inflamatórios e aspirinas, pois pode potencializar os efeitos. Quando usada nas doses recomendadas, não apresenta toxicologia.

Efeitos colaterais

Entre os efeitos colaterais, citamos possíveis reações de foto sensibilidade, diarreia, náusea, dores de cabeça, dispneia, náusea, diarreia, vertigem, tremores, convulsões e falha cardíaca e respiratória. Quando em superdosagem, procure um médico imediatamente para que sejam tomadas as medidas para intoxicação.

Como consumir

Na fórmula de capsula, deve ser consumida a proporção de três por dia, sendo que duas devem ser tomadas juntas, cerca de meia hora antes do café da manhã, e a outra deve ser consumida meia hora antes do jantar.

O tratamento pode ser levado por um período entre três e seis meses, e pode levar entre um e dois meses para observar as mudanças.

Como preparar o chá?

Para preparar, você deve usar duas gramas (uma colher de sopa da erva) para cada xícara de água quente.