Chá de cambará – Benefícios dessa planta

Por Natália Petrin em Plantas

De nome científico Lantana camara, o cambará é um arbusto ornamental e florífero. As folhas são pilosas e seus ramos eretos ou semi pendentes são bastante flexíveis. Com muitas flores que formam pequenos buquês, as cores normalmente são laranja, rosa, vermelho, amarelo e branco, mas mesmo em apenas uma inflorescência, podemos encontrar colorações diversas.

As partes da planta usadas para fins medicinais são as folhas e os talos. Originária do Brasil, a planta vem sendo usada há séculos para o tratamento de diversas doenças. Segundo estudos feitos em porquinhos da índia (comuns desde o século 19 para modelo gastrointestinal e respiratório de humanos), quando parte do intestino do animal foi retirada, foram simuladas cólicas intestinais e em seguida, aplicado o extrato da folha da planta. Nesse caso, pôde-se observar uma atividade antiespasmódica mais intensa, comprovando seu efeito no tratamento de dores abdominais. Outros estudos mais recentes comprovaram também sua eficiência no combate às doenças abdominais e respiratórias.

Benefícios e propriedades

Além dos benefícios citados anteriormente, comprovados por métodos científicos, o chá feito com cambará apresenta ainda outras indicações populares. Pode ser usado para baixar febre, tratar dores de ouvido, coqueluche, reumatismo e espasmos. Atua ainda como um excelente expectorante, sendo indicado para tosses, resfriados, gripes, bronquites, asmas, infecções e alergias respiratórias.

Chá de cambará - Benefícios dessa planta

Foto: Reprodução

Como preparar o chá?

Para preparar o chá, você deve separar:

– 1 colher de sopa das folhas secas de cambará (devem ser secas ao sol)
– 1 litro de água

Em um recipiente – preferencialmente de outro material que não seja metal -, coloque os dois ingredientes e leve ao fogo. Aguarde até que a mistura comece a ferver e, em seguida, desligue. Coloque uma tampa e deixe descansar por aproximadamente dez minutos para, enfim, coar e consumir. Pode ser consumido morno ou gelado, como preferir, mas sem adoçar.

A dose indicada é de uma xícara de chá entre três e quatro vezes por dia, preferencialmente de manhã, após o almoço, à tarde e antes de dormir.

Contraindicações e precauções de uso

Atenção: A planta é tóxica, devendo ser usada somente com orientação médica e prescrição, além de acompanhamento. Pode levar à morte quando usada sem acompanhamento médico.

Entre seus efeitos colaterais estão a náusea, vômitos, diarreia, fraqueza, respiração difícil, entre outros, que podem aparecer algumas horas após o consumo. Caso sinta alguns desses sintomas, procure um atendimento médico urgentemente.