Chá de cipó cabeludo – Benefícios e propriedades

Por Natália Petrin em Plantas

Abundante nas matas do Brasil, país de onde é originário, o cipó cabeludo é uma planta da família das Polypodiaceae. Mais comum nos estados do Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e São Paulo, o cipó cabeludo é um arbusto – pode chegar aos 4 m de altura – que possui ramos com extremidade coberta de pelos de coloração castanha. Suas folhas são opostas, denticuladas e possuem coloração verde-escura em sua face superior e verde-clara na parte inferior. Também conhecida como guaco-cabeludo, guaco-de-cabelos, cipó almecega, e cipó de cerca, suas partes utilizadas para o chá são as folhas. De nome científico Microgramma vacciniifolia, o cipó possui sabor amargo e seu cheiro é aromático.

Propriedades e benefícios

Entre seus princípios ativos estão os taninos, matérias aromáticas e pépticas. A planta possui propriedades medicinais béquica, antidiarreica, diurética, antinefrítica, além de combater as frieiras, rachaduras e coceiras de pele, escarros com sangue, gota, reumatismo, varizes, lesões cardíacas e problemas com dilatação das veias. Age ainda como anti-hipertensivo, anti-inflamatório e analgésico, combatendo também as nefrites, disenteria, cistites, pielites, problemas das vias urinárias, nevralgia, dores no corpo, problemas dos rins, uretrite, contusão e cálculos renais.

Chá de cipó cabeludo - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Como preparar o chá?

O chá deve ser preparado com a proporção de duas colheres de sopa da erva cipó cabeludo para cada litro de água. Em um recipiente, adicione a água e a erva e leve ao fogo. Quando alcançar fervura, deixe a mistura borbulhar por aproximadamente dez minutos. Em seguida, desligue o fogo, tampe e deixe descansar até amornar. Coe e consuma.

Como consumir?

Seu consumo pode ser feito na forma de cápsulas, tintura e infusão. Todos podem ser encontrados em lojas de produtos naturais e algumas farmácias de manipulação. O chá deve ser consumido duas ou três vezes ao dia.

Contraindicações e efeitos colaterais

Não foram encontradas contraindicações na literatura consultada. No entanto, indicamos que, sempre antes de consumir quaisquer medicamentos, sejam eles naturais ou industrializados, você consulte o seu médico. Plantas e medicamentos podem atuar cortando ou intensificando outros medicamentos, ou prejudicando problemas pré-existentes.

É indicado, ainda, que pacientes que façam uso de anticoagulantes tenham monitoramento clínico constante, uma vez que a planta cipó-cabeludo tem efeito redutor sobre a viscosidade sanguínea. Além disso, pacientes que não desejem o efeito de diurese não devem consumir a planta.