Chá de cipó cruzeiro ameniza rouquidão

Por Katharyne Bezerra em Plantas, Saúde

Cientificamente conhecida como Chiococca alba, a cipó cruzeiro é uma planta da família das Rubiaceae que pode ser encontrada em todo o Brasil, principalmente na Amazônia e no Cerrado.

Também chamada de cainana, cipó cruz e raiz preta, esta planta carrega diversos benefícios à saúde humana, os quais estão concentrados nas raízes da erva.

Propriedades medicinais e efeitos benéficos

As ações anti-inflamatória, anti-ofídica, anti-reumático e diaforética, fazem parte das propriedades que a cipó cruzeiro possui. Além disso, a planta ainda é considerada diurética, emenagoga, laxativa e pulmonar. Diante destes agentes, a erva pode ser utilizada no tratamento de diversos problemas, como:

cha-de-cipo-cruzeiro-ameniza-rouquidao

Foto: Reprodução/Richard Lyons Nursery

  • Tosses, rouquidão e laringite;
  • Bronquite e asma;
  • Angina;
  • Distúrbios no aparelho urinário;
  • Casos de prisão de ventre;
  • Dores reumáticas;
  • Articulações inchadas;
  • Nevralgias;
  • Palpitações nervosas.

Chá de cipó cruzeiro: modos de preparos e utilização

É possível preparar esta bebida de duas forma distintas, mas ambas utilizam as raízes da erva. Assim, a primeira maneira é através da decocção das raízes, que antes de serem misturadas com um litro de água, precisam ser moídas. Após este processo, leva-se ao fogo os dois ingredientes e deixa ferver por 15 minutos. Em seguida, é só beber. A dica é não ultrapassar a dosagem de três xícaras por dia.

Já a segunda maneira de fazer o chá de cipó cruzeiro, é através da infusão do pó de suas raízes. Assim, basta colocar meio litro de água no fogo e após o estado de ebulição adicionar o pó. A panela deve ficar tampada enquanto o chá está em infusão, durante 10 minutos, depois é só ingerir.

Contraindicações e efeitos colaterais

O chá de cipó cruzeiro não deve ser ingerido por grávidas e lactantes, tendo em vista que as propriedades da planta e os princípios ativos da mesma podem prejudicar o desenvolvimento do feto e alterar o sabor do leite materno.

Além disso, é indicado que o paciente busque por orientações médicas antes de dá início a um tratamento, mesmo que este venha a ser natural. No caso do chá de cipó, por exemplo, a utilização precisa ser feita de forma moderada, tendo em vista que o excesso pode provocar diarreias ou náuseas.