Chá de cipó prata: um eficiente diurético

Por Débora Silva em Plantas, Saúde

O uso de plantas para fins medicinais é uma prática milenar. Desde tempos imemoriais, diversos povos ao redor do mundo utilizam ervas para tratar e prevenir doenças, sendo que um dos primeiros registros históricos dessa prática data do século I.

São várias as plantas que podem auxiliar no tratamento de determinadas condições de saúde, incluindo a cipó prata, uma planta trepadeira nativa brasileira.

Características da cipó prata

De nome científico Banisteria argyrophylla, a cipó prata é uma planta pertencente à família das Malpighiaceae, aparecendo na orla das matas, cerrados, campos e beiras de estrada. Trata-se de uma planta trepadeira e lenhosa grande, com ramos finos e alongados, além de folhas opostas com coloração verde-escura. As suas flores são franjadas e possuem coloração branca e amarela; já o fruto é uma câmara com dorso alado.

cha-de-cipo-prata-um-eficiente-diuretico

Foto: depositphotos

Propriedades e benefícios

A cipó prata é conhecida pelas suas propriedades diuréticas, atuando positivamente na eliminação do ácido úrico.

Devido às suas propriedades medicinais, esta planta também é aliada no tratamento de uma série de condições de saúde, como afecções renais (oligúria, anúria, disúria, dor lombar) e afecção vesical (inflamações e dores). O chá preparado com a cipó prata também pode auxiliar no tratamento de cistites e no combate ao ácido úrico e crises de gota.

A planta também contém propriedades anti-inflamatórias, podendo ser utilizada no tratamento de inflamações e dores, ou em casos de blenorreias, hemorragias ovarianas, nefrite e clareamento de manchas.

Chá de cipó prata: como preparar?

Para aproveitar os benefícios proporcionados pela cipó prata, basta utilizar duas colheres de sopa das folhas da planta para cada litro de água. Em um recipiente, coloque a água e as folhas. Leve ao fogo e aguarde até a mistura alcançar fervura. Aguarde mais 10 minutos e desligue em seguida. Quando a mistura amornar, coe e consuma. A dose recomendada é de duas a três xícaras de chá ao dia.

Contraindicações e efeitos colaterais

Se for consumida nas doses recomendadas, não há toxidade. Em excesso, pode apresentar sinais de toxidade ainda não relatados. Lembre-se sempre que todo tratamento – inclusive natural – requer orientação médica. Procure um especialista antes de consumir qualquer chá! As plantas possuem substâncias que podem ser muito perigosas para a sua saúde.