Chá de garcínia para controlar compulsão por comida

Por Natália Petrin em Emagrecimento, Plantas

A garcínia é uma pequena árvore das florestas de Camboja, Sul da África, e da Polinésia, além de ser cultivada na Índia e em países do Extremo Oriente. Na Índia é usada para o preparo do caril e para a conservação de alimentos. A planta pertence à família das Gutiferáceas e suas partes mais utilizadas são a casca seca e a polpa do fruto. Seu fruto se parece com uma pequena abóbora e tem o tamanho de uma laranja.

Chá de garcínia para controlar compulsão por comida

Foto: Reprodução

Propriedades e benefícios

A garcínia é rica em sais minerais e compostos fenólicos, além do ácido hidroxicítrico, seu principal componente, que pode ser encontrado na pele do fruto. Age como bloqueador de gorduras inibindo o seu armazenamento, transfere as calorias para formar glicogênio, que é uma forma de açúcar armazenada nos músculos e no fígado, reduz e controla o apetite, sendo um bom auxiliar para quem busca a perda de peso.

Chá para controlar a compulsão por comida

Alguns ingredientes, unidos a garcínia, podem potencializar o efeito de perda de peso. Confira uma receita indicada para o controle da compulsão por comidas e doces e para auxiliar na perda de peso.

Para fazer o chá, você vai precisar de:

  • 1 litro de água
  • Java
  • Garcínia
  • Hibisco
  • Mulungú
  • Passiflora
  • Dente-de-leão
  • Erva de São João

Coloque a água em um recipiente e leve ao fogo. Quando ferver, adicione um punhado de cada uma das ervas. Tampe e desligue o fogo, e deixe descansar por 20 minutos. Coe e tome uma xícara 5 vezes ao dia durante 45 dias.

Outras plantas

As outras substâncias presentes nas ervas que acompanham a garcínia no chá possuem também propriedades ricas e benéficas para nosso organismo. A java tem efeito semelhante à garcínia, pois também tem efeito no apetite, ajudando no emagrecimento. O hibisco é rico em vitamina C, e é usado como redutor do colesterol. Suas propriedades envolvem sua atuação como diurético, anti-inflamatório, analgésico, expectorante, digestivo e em doenças do fígado, além de fortalecer o sistema imunológico.

O Mulungú, erva pouco conhecida, é usado para equilibrar e acalmar, além de equilibrar e fortalecer o fígado, regular os ritmos cardíacos e estabilizar o sistema nervoso central. A passiflora, também utilizada no chá, possui ações relaxantes, antidepressivas e analgésicas. É eficaz no combate à ansiedade, nervosismo, TPM e dificuldades de concentração. O dente-de-leão pode ser usado no combate a doenças crônicas hepáticas, artrite e diabetes, e a erva de são joão age também como antidepressiva e calmante.