Chá de genciana – Benefícios e propriedades

Por Natália Petrin em Plantas

Também conhecida como gencianela, genciana amarela, gengiba, junciana ou ainda unciana, a genciana é uma planta perene que possui a raiz grossa e uma roseta de folhas elípticas. Depois de um período entre 4 e 8 anos, a planta desenvolve um caule alto e oco com folhas sésseis e opostas, e o fruto conta com sementes aladas.

Originária dos Cárpatos, a planta, cujo nome científico é Gentiana lutea, pode ser encontrada ainda em cadeias montanhosas da Europa e da Ásia e, em diversos países, é protegida e cultivada para fins medicinais. As partes usadas para fins medicinais podem ser encontradas em farmácias de manipulação e algumas lojas de produtos naturais.

Quais as propriedades e utilidades da planta?

A planta possui propriedades antidiabética, anti-emética, antimicrobiana, aperiente, laxante, vermífuga, digestiva, tônica e anti-inflamatória. Graças a essas propriedades, pode ser usada no tratamento de vômitos, vermes intestinais, resfriados, náuseas, icterícia, gota, gastrite, fraqueza geral, anorexia, diabetes, cálculos biliares, azia, alergias, amenorreia, diarreia, anemia, dores reumáticas e febre. Pode ser usado ainda no combate aos gases intestinais, problemas estomacais e digestivos – pois regula os movimentos peristálticos e estimula a produção do suco gástrico –, ou ainda como estimulante da saliva, para tratamento de prisão de ventre e doenças inflamatórias.

Chá de genciana - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Como preparar o chá?

Para preparar o chá, você deverá usar as folhas e as raízes, e consumir sempre antes das principais refeições. Em um recipiente, coloque uma xícara de água e leve ao fogo. Quando alcançar fervura, coloque uma colher de chá da raiz e tampe, deixando descansar por cerca de dez minutos. Após esse período, a planta terá liberado suas substâncias ativas em uma quantidade ideal para o tratamento das doenças citadas acima. Você pode coar, esperar amornar e consumir em seguida, em uma dose entre duas e três vezes ao dia.

Contraindicações e efeitos colaterais

Quando consumida em excesso a erva pode causar dores de cabeça e vômitos. Seu consumo é contraindicado para mulheres gestantes ou em fase de lactação, pacientes hipertensos, com úlceras no estômago ou com predisposição para dores de cabeça.

Antes de consumir medicamentos naturais, consulte um médico especialista, pois algumas plantas possuem interações medicamentosas potencializando os efeitos de determinados remédios ou anulando o efeito de outros. É essencial, ainda, que seu médico tenha conhecimento de todos os sintomas e de tudo que está sendo usado como forma de medicamento, natural ou industrializado.