Chá de guaçatonga – Benefícios e propriedades

Por Natália Petrin em Plantas

Usada há muito tempo pelos indígenas, a Guaçatonga é pouco conhecida. Seu nome científico é Casearia sylvestris, popularmente conhecida como bugru-branco, café-bravo, café-do-diabo ou café-do-brejo. Suas propriedades medicinais são usadas pelos índios até hoje, principalmente em casos de problema de pele e picadas de cobra. Facilmente encontrada em território brasileiro, a planta tem sido muito usada para produção de remédios homeopáticos, cremes fitoterápicos e no tratamento da herpes labial e das aftas.

Guaçatonga

Foto: Reprodução

Propriedades

Com diversas plantas da mesma família casearia, chamadas de guaçatonga, apenas uma tem sido usada. Esta mede de dois a seis metros de altura, e é a mais baixa da família. A planta tem propriedades cicatrizantes, depurativas, calmantes, sudoríferas, tônicas, cardiotônicas, diuréticas, estimulantes, afrodisíacas, anestesiantes, antiespasmódicas, anti-hemorrágicas, antimicrobianas, antisséptica e imunoestimulante. É indicada para diversos problemas de saúde, atuando em paralisias, reumatismo, herpes, hemorragias, inflamações, inchaços nas pernas, ácido úrico, aftas, artrite, dores no peito, diarréia, picadas de cobras, hematomas, picadas de muitos insetos, micose, sífilis, obesidade e úlceras. Ela contém cariofileno, que anula os efeitos da histamina e, além disso, é cicatrizante e pode auxiliar no processo de emagrecimento.

Como usar?

A guaçatonga pode ser usada em forma de compressa quando se tratar se casos de problemas na pele. A compressa deve ser preparada com 30g da planta, 10g de folhas de confrei e um litro de água. Adicione as ervas na água e ferva durante dez minutos. Pode ser aplicada no local morna ou fria.

Como xarope, serve para tratar aftas. Seu preparo é simples, basta triturar as folhas da guaçatonga com álcool e aplicar sobre as feridas da boca.

O chá é indicado quando há problemas digestivos e úlceras. Em 200 ml de água fervente, coloque 10g de guaçatonga. Em seguida, deixe em infusão. O recomendado é tomar duas xícaras por dia.

Contraindicações

O consumo da guaçatonga deve ser evitado por gestantes, pois a planta estimula contrações uterinas, podendo ocasionar um aborto espontâneo, e também por mulheres em fase de amamentação. Não existem registros de efeitos colaterais, mas é preciso, por precaução, evitar consumir em excesso e seguir apenas as recomendações.