Chá de papoula – Indicações e cuidados necessários

Por Natália Petrin em Plantas

Planta da família Papaveraceae, a papoula, também conhecida como papoula dormideira, é a planta usada para obter o ópio. De nome científico Papaver somniferum L., sua flor pode ter coloração branca, rosa, arroxeada ou vermelha. Seu látex, bastante semelhante ao da seringueira, extraído do fruto ainda verde da papoula, contém morfina, codeína, papaverina e outras substâncias, e é o que chamamos de ópio.

Chá de papoula – Indicações e cuidados necessários

Foto: Reprodução

Aplicações da papoula

As sementes da papoula são muito usadas na culinária, mas a aquisição das sementes é controlada pela ANVISA no brasil. Ao contrário do ópio, no entanto, as sementes são extraídas quando a planta já está seca. Apesar de a semente não ser proibida aqui no país, sua plantação em longa escala é.

Usadas em saladas, massas, pães, bolos, saladas de frutas, biscoitos e diversas coisas, as sementes da papoula são usadas ainda para fins medicinais. Há muitos anos, ela vem recebendo aplicações medicinais, como por exemplo na Mesopotâmia, onde era usada na forma de chá para tratar insônias e prisão de ventre, e, mais tarde, os babilônios e assírios também a usavam para produzir remédios. No ano de 1803 foi desenvolvida a morfina quando Friedrich Sertürner pesquisou e observou os efeitos do ópio.

Propriedades, benefícios e cuidados

A papoula possui efeitos relacionados ao sono, pois contém alcaloides de ação sedativa. É muito usada em infusões para eliminar sintomas relacionados à ansiedade e ao estresse, além de tratar tosses, asma, coqueluche, bronquites, e de ser indicada para quem está com as vias aéreas inflamadas. Além disso, pode ser usada ainda para combater dores de dente, pois suas pétalas, quando preparadas em infusão, possuem ação analgésica.

Possui propriedades narcóticas e hipnóticas, por isso seu consumo deve ser controlado. É preciso seguir corretamente as doses indicadas para evitar quaisquer problemas. Ao ser cultivada em casa, mantenha longe do alcance de crianças e animais.

Como preparar e consumir?

A infusão deve ser feita com a proporção de 6 pétalas de papoula para cada xícara de água. Ferva a água, desligue o fogo e adicione as pétalas, deixando descansar por dez minutos. Consuma no máximo três xícaras ao dia.

O xarope pode ser feito com a infusão preparada com 170 ml de água e 10 g de pétalas secas. O preparo é igual ao citado anteriormente, devendo ser coado em seguida. Acrescente 340 g de açúcar mascavo e misture até adquirir consistência de xarope. Consuma entre duas e quatro colheres de sobremesa antes de dormir.

Contraindicações

O uso prolongado é contraindicado, pois pode causar dependência pela presença de morfina.