Chá verde e café são capazes de prevenir AVC

Por Natália Petrin em Saúde

Segundo um estudo divulgado na publicação científica Stroke: Journal of the American Heart Association, o consumo regular de café e de chá verde pode ajudar a diminuir os riscos de AVC. A medida indicada para este benefício, entretanto, seria de quatro xícaras de chá ou uma de café ao dia.

O estudo

Essa pesquisa foi realizada no Japão, na National Cerebral and Cardiovascular Center, e em seu estudo 83.269 japoneses adultos, entre 45 e 74 anos foram acompanhados durante 13 anos com ingestão de café e chá verde monitoradas, objetivando analisar quais os resultados e efeitos dessas duas bebidas na saúde cardiovascular. Para o estudo, ainda foram analisadas informações como idade, sexo, dieta, peso e tabagismo.

Resultados

Segundo os resultados, ambas as bebidas ajudam a diminuir os riscos de sofrer um AVC em um valor entre 20% e 30% do que os demais para os que consomem o chá, e de 20% para os que consomem o café.

O consumo de mais de uma xícara de café ao dia, entretanto, pode ser bastante perigoso para o coração. As origens dos efeitos não foram desvendadas, mas acredita-se que os benefícios sejam em decorrência das propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que ajudam a proteger o organismo.

AVC: como evitar?

Chá verde e café são capazes de prevenir AVC

Foto: Reprodução/ internet

Além de pequenas atitudes, como o consumo do chá verde e do café nas quantidades recomendadas, o AVC pode ser evitado ainda com a diminuição do colesterol ruim – que aumenta o espessamento e endurecimento das artérias, fazendo com que se feche aos poucos, sair do sedentarismo e da obesidade, melhorar a qualidade da alimentação, já que fatores como obesidade, diabetes e hipertensão, relacionados à alimentação, influenciam o AVC –, controlar a pressão alta com medicação e hábitos saudáveis, reduzindo também a quantidade de sal. Outras medidas são diminuir o excesso de glicose no sangue, eliminar o tabagismo, tratar doenças cardíacas, como arritmia.

Sintomas

O AVC do tipo isquêmico tem uma incidência três vezes maior do que o tipo hemorrágico, e permite que o paciente seja socorrido em até quatro horas e meia para diminuir o risco de sequelas ou até mesmo morte.

Os sintomas, segundo Maurício Hoshino, neurologista, podem ser analisados pela sigla “SAMU”: de um Sorriso, tente dar um Abraço, cante uma Música. Tudo isso vai ajudar a verificar os desvios da boca, se há dificuldade para levantar os braços, mas também para cantar uma música.