Cipó de prata: chá é capaz de combater hemorragias, dores e inflamações

Por Natália Petrin em Beleza, Saúde

A planta conhecida como cipó de prata tem como nome científico Banistera argyrophylla. A mesma é encontrada com maior frequência no cerrado e na borda do Pantanal Sul Mato-Grossense. Da família das malpighiaceae, o cipó de prata é uma planta trepadeira e lenhosa grande, com ramos finos e alongados, além das folhas que são opostas e ovadas com coloração verde-escura.

As flores dessa planta são franjadas e possuem coloração branca e amarela, estando presentes na árvore reunidas em umbelas paniculadas, ou ainda em corimbos compostos. Seu fruto é uma câmara com dorso alado e seu florescimento acontece durante o verão.

Cipó de prata: chá é capaz de combater hemorragias, dores e inflamações

Foto: Reprodução/ internet

Benefícios e propriedades da planta

A planta, quando usada para o preparo de chás, possui benefícios medicinais. Possui propriedades diuréticas atuando de forma muito positiva na eliminação do ácido úrico. Pode ser usada para tratamento de afecções renais como urina presa, dores renais, cálculos de rins e problemas da bexiga. Além disso, é auxiliar no tratamento de cistites e no combate ao ácido úrico e crises de gota. Pode ser usada ainda como anti-inflamatório – no tratamento de inflamações e dores – ou ainda no tratamento de blenorreias, hemorragias ovarianas, nefrite e no clareamento das manchas e da pele.

Como preparar o chá?

Para preparar o chá, você deve usar a proporção de duas colheres de sopa das folhas da planta para cada litro de água. Em um recipiente, coloque a água e as folhas e leve ao fogo. Aguarde até a mistura alcançar fervura e então cronometre mais dez minutos, desligando em seguida. Tampe e deixe descansar por um período aproximado de dez minutos e, quando amornar, coe e consuma. A dose indicada é de duas a três xícaras de chá ao dia, que podem ser consumidas quentes ou geladas, preferencialmente sem adoçar.

Além de na forma de chá, a planta pode ser encontrada em lojas de produtos naturais, na forma de cápsula de pó e tintura – líquido.

Contraindicações e efeitos colaterais

Quando consumida nas doses indicadas, não há toxidade. Quando usadas em doses muito elevadas, pode apresentar sinais de toxidade ainda não relatados, mas sem haver casos registrados de morte. A infusão deve ser consumida, no máximo, três vezes ao dia, com intervalos de aproximadamente 8 horas.