Consumo do chá de hibisco pode ser perigoso

Por Katharyne Bezerra em Degustação, Doenças, Emagrecimento, Plantas, Saúde

Hibisco é conhecido por quem deseja perder peso utilizando métodos naturais, tendo em vista que ele é antioxidante e esta característica contribui para a queima do acúmulo de gordura no corpo.

É diurético e isso favorece a eliminação do líquido retido pelo organismo, o responsável por causar os inchaços abdominais. Além disso, a bebida feita com as sépalas da flor de rosela, como também é conhecida, é rica em vitamina C. Por isso, auxilia o sistema imunológico.

Todavia, o consumo deste chá deve ser feito com acompanhamento médico, uma vez que ele pode provocar reações adversas em pacientes saudáveis, se consumido de forma exacerbada. Ou causar problemas se ingerido por determinadas pessoas, como grávidas, lactantes ou portadores de pressão baixa.

Consumo do chá de hibisco pode ser perigoso

Foto: depositphotos

Riscos e recomendações sobre o uso do chá de hibisco

Assim como todos os medicamentos, sejam eles naturais ou não, o hibisco requer uma atenção especial com relação à sua utilização.

Isto porque, o excesso do consumo do chá feito com esta erva pode causar alguns efeitos colaterais que já foram relatados por diversos pacientes. Por exemplo, há a presença de enjoos, sensação de fraqueza, tontura e até mesmo eventuais desmaios.

Os distúrbios apresentados após a ingestão exagerada do chá de hibisco são promovidos devido a ação diurética que a bebida possui.

Esta característica faz com que o corpo elimine substâncias essenciais para o funcionamento normal do organismo, chamadas de eletrólitos. Tais substâncias são compostas por nutrientes como potássio, cálcio e sódio. Desta forma, o paciente pode sofrer com desidratação, resultando nos sintomas já mencionados.

As propriedades do chá de hibisco também podem interferir nos níveis de estrogênio, hormônio feminino. Por esta razão, a bebida apresenta potenciais riscos para a fertilidade das mulheres. Contudo, vale ressaltar que o chá também pode ser maléfico para o sistema endócrino masculino, isso se consumido além do permitido.

Com relação as contraindicações, estas são com relação às mulheres que estão em período gestacional, tendo em vista que a composição química do hibisco pode causar ações mutagênicas nas estruturas dos genes do bebê.

E também no caso das que amamentam, isso porque as enzimas do chá são fortes demais para serem digeridas pelo organismo da criança.

Além destes casos, as pessoas que possuem pressão baixa também devem evitar o uso do chá de hibisco. Pois, de acordo com alguns cientistas, a bebida auxilia na eliminação de eletrólitos, que também são responsáveis pelo aumento da pressão.

Sendo assim, quem já possui a pressão abaixo do normal, ao fazer uso do chá pode apresentar o quadro clínico de hipotensão, colocando à vida em risco.