Descubra os efeitos colaterais do chá à base das folhas de sene

Por Natália Petrin em Emagrecimento, Plantas

Comumente usado devido ao seu efeito laxante, o chá feito com as folhas de sene, é também bastante usado por aqueles que buscam o emagrecimento. Quando consumido da forma correta, inclusive, apresenta excelentes resultados, relatados pelos usuários. Esses benefícios podem ser aproveitados nos dois tipos da planta: Cassia senna, nativa do Egito e do Sudão, e a Cassia angustifólia, nativa da Somália e da Arábia.

Contraindicações

A planta, mesmo se tratando de um medicamento natural, apresenta contraindicações. Seu consumo é contraindicado para pacientes que sofrem de dores abdominais de origem desconhecida, desidratação, obstrução intestinal e crianças menores de 12 anos. Além disso, é proibida para aqueles que sofrem com a síndrome do cólon irritável, doença de Chron e doenças inflamatórias intestinais agudas.

A planta também não deve ser consumida por pacientes gestantes, principalmente no primeiro trimestre, pois, apesar de não haver comprovações, há indícios de que pode provocar aborto quando consumido em excesso.

Imagem de folhas de sene

Foto: Depositphotos

Efeitos colaterais

O consumo de Sene de forma excessiva pode causar vício no intestino, além de causar prejuízos em sua movimentação natural. Isso pode causar uma necessidade maior, em mais vezes, de medicamentos, além de originar a constipação intestinal. É por isso que o chá deve ser usado como laxante somente como um medicamento emergencial, e jamais diariamente, já que outros efeitos indesejáveis podem aparecer.

Se há constante constipação, assim como o excesso de gases, é preciso fazer uma reestruturação da alimentação, aumentando a ingestão de líquidos e de fibras. Com o uso do sene, entretanto, é normal que o paciente apresente cólicas abdominais ou desconfortos suaves na região, porém, quando se usa constantemente, pode causar uma síndrome de dependência laxante, que tem como principal característica o mal funcionamento do intestino, ou ainda a perda dos movimentos peristálticos quando o intestino não recebe as doses do laxante.

Em alguns casos mais graves, é possível que haja desidratação e caquexia, que se refere ao emagrecimento excessivo. O paciente pode apresentar ainda a urina avermelhada ou acastanhada durante o tratamento feito com essa planta. O sene pode ser responsável, ainda, por agravar alguns quadros médicos, como câncer gastrointestinal, úlceras, colite, doença diverticular e a doença de chron, entre outras.