Descubra por que chá em excesso faz mal; confira dosagens ideais

Por Katharyne Bezerra em Degustação

Há uma variedade de plantas medicinais que são usadas em forma de chás para tratamentos de determinadas doenças e males. Porém, assim como os medicamentos vendidos em farmácias, estas bebidas possuem indicações, contraindicações e efeitos colaterais. Por essa razão, quem gosta de investir nos chás para a garantia da saúde deve também está atento as formas corretas de consumi-los.

Por falta de conhecimento e na ânsia de alcançar os objetivos desejados, algumas pessoas exageram nas doses diárias dos chás e, ao invés de prevenir ou tratar o problema, acaba criando outros. Desta forma, confira a quantidade correta para alguns das bebidas mais populares e descubra para que elas são indicadas.

Tipos de chás

O chá é uma das bebidas mais antigas do mundo e, mesmo, assim não conhecemos todas as plantas medicinais e as suas formas de consumo. Por outro lado, algumas ervas são bem famosas nas suas finalidades, como o boldo, carqueja, erva-doce, camomila, chá preto e verde etc.

Levando em consideração esses exemplos, podemos dizer que quem deseja manter o intestino trabalhando corretamente e o estômago livre de problemas digestivos devem apostar nos chás de boldo e carqueja. Esses, além de provocar o alívio nos processos digestivos, também são indicados para eliminar a azia e controlar a diabetes, respectivamente.

Descubra por que chá em excesso faz mal; confira dosagens ideais

Foto: Pixabay

Enquanto que os chás de erva-doce e camomila são as bebidas para o controle da ansiedade. Eliminam o estresse e ajudam a relaxar. Além disso, esta primeira erva também pode ser usada por quem deseja estimular as funções digestivas. E a segunda auxilia o tratamento de doenças respiratórias.

Já o chá preto e o verde são estimulantes e servem para aumentar a produtividade de quem os toma. Ricos em cafeínas, eliminam o sono e ajudam a acelerar os processos metabolizantes do organismo.

Como tomar os chás?

Apesar de saborosos e benéficos, os chás também precisam de controle nos seus consumos. Não faz mal tomá-los diariamente, mas o seu excesso pode ser prejudicial à saúde. Os especialistas afirmam que a quantidade diária deve ser de no máximo cinco xícaras. Número ideal para quem deseja conseguir resultados satisfatórios, sem danificar o organismo.

Por exemplo, os chás estimulantes que possuem bastante cafeína devem ser evitados durante a noite, pois eles podem prejudicar o sono. Os pacientes que possuem arritmia e hipertensão arterial também não devem fazer uso dessas bebidas.

Se surgir alguma dúvida com relação a algum tipo de chá, procure seu médico e peça que ele lhe oriente sobre a melhor opção e a forma correta para consumi-lo de acordo com seu problema.