História do chá no Japão

Por Natália Petrin em Cultura

A bebida mais consumida no mundo todo é o chá: com diversos sabores e muitas propriedades medicinais, os chás fazem parte de hábitos diários de povos diversos, como é o caso dos japoneses. Para a cultura do país, a bebida já se tornou sinônimo do que, no aroma e no paladar, sintetiza a essência local.

O que são os chás?

O chá popular, que é o chá preto, é comprado em supermercados em caixinhas ou ainda em folhas secas, e são originárias de uma planta que é originária da China chamada camellia sinensis, que traduzido do latim significa “Camélia da China”. Trata-se, inclusive, da planta que dá origem a única bebida chamada de chá de forma correta. (as outras são infusões).

Lenda chinesa

Existe uma lenda em torno do Imperador Shen Nung que, acidentalmente, no ano de 2737 a.C. teria descoberto o chá.

Além de imperador, Shen Nung era um filósofo que, por higiene, somente bebia água fervida. Em um dos dias, estava descansando perto de uma árvore e algumas folhas caíram dentro do recipiente em que ele havia colocado a água para ferver. Mas ao invés de remover as folhas, ele simplesmente deixou que fervessem junto à água, percebendo que produziram uma infusão.

Decidiu provar e gostou do sabor. Não existem, no entanto, registros que comprovem a veracidade dessa história, mas os chineses carregam essa lenda como verídica.

Chás fazem parte de hábitos diários de diversas nações, a exemplo do Japão

Foto: Pixabay

O que se sabe é que os chás já são feitos na China há muitos anos, sendo que uma das primeiras referências escritas é datada do século III a.C., em que por recomendação de um médico chinês da época, um general que sentia-se deprimido deveria tomar a bebida. Isso indica que desde a antiguidade já se conhece os benefícios da bebida.

O chá no Japão

No Japão, o registro mais antigo da bebida é datado de 729, quando alguns monges budistas que haviam ido à China para estudar trouxeram o chá como forma de presentear o Imperador Shomu. A introdução do cultivo do chá, no entanto, se deu no ano de 805 e é atribuída ao monge Saicho.

Apesar de ser popular no local, nos dias atuais, o chá demorou para se tornar comum e popularizado no Japão. Por muito tempo, inclusive, a bebida foi considerada um medicamento e reservada aos privilegiados devido ao rompimento das relações com os chineses.

Foi nos mosteiros que o chá se tornou mais popular primeiramente, sendo iniciado o cultivo e por fim o consumo.

A família Ashikaga, a partir de 1336, acabou mudando a forma como os chás eram vistos pelos japoneses, quando, apreciando o sabor do chá, transformaram o hábito do consumo em um tipo de cerimônia, incentivando às classes guerreiras, a corte e outras ordens monásticas budistas a consumir. Com isso, o consumo acabou se espalhando e se tornou uma cerimônia verdadeira que ficou conhecida como chanoyu.