Quem inventou os famosos chás de saquinhos?

Por Katharyne Bezerra em Cultura

“Às vezes tudo o que a gente precisa é um chá, um cafuné e um abraço apertado.” O autor dessa frase é desconhecido, mas os desejos expressos na citação podem ser os mesmos de muitas pessoas. Isso porque, ninguém resiste aos carinhos e afagos, quanto ao chá este já é a terceira bebida mais consumida em todo o mundo, ficando atrás do café e da água.

Saborosos e muito nutritivos, os chás ganham cada vez mais espaços ao redor do mundo, principalmente onde foram originados, isto é, na China. Porém, talvez seja o seu modo de preparo fácil que conceda destaque a esta bebida. Além de ser feito através do processo de ebulição, os chás podem ser elaborados pela infusão, quando saquinhos são colocados diretamente na água fervente e em poucos minutos a bebida está pronta para ser consumida. Mas, onde surgiu esta opção? Para descobrir, é necessário fazer uma pequena viagem no tempo a respeito desta bebida milenar.

Um breve histórico sobre os chás

São milhares de histórias com relação ao surgimento dos chás, mas a mais popular é que esta bebida teria sido originada acidentalmente. De acordo com lendas chinesas, no ano 2737 a.C., algumas folhas teriam caído dentro de uma panela com água quente. Assim, o imperador Shennong teria descoberto o modo de preparo desta bebida.

Quem inventou os famosos chás de saquinhos?

Foto: Depositphotos

Depois do grande sucesso na China, o chá passou a ser consumido por toda a Ásia. Em seguida, após as várias navegações entre Reino Unido e Oriente, as tradições foram repassadas aos ingleses. Estes, por sua vez, tem até um horário exclusivo para saborear esta bebida, isto é, às 17h. Mas, foi apenas no século XIX, que o chá ganhou o mundo e pôde ser saboreado por diversas línguas e paladares.

O chá de saquinho: como surgiu?

Mesmo que o chá tenha sido descoberto na China e recebido popularidade após ser aderido aos costumes e tradições inglesas, foi nos Estados Unidos que a bebida recebeu a versão de saquinho. Existem duas teorias comprovadas para esta invenção: a das irmãs Roberta C. Lawson e Mary McLaren, em 1901, e a mais conhecida, a de Thomas Sullivan 1908.

De acordo com registros de patenteação, as duas irmãs americanas moradoras de Milwaukee, no Wisconsin, teriam desenvolvido um chá de saquinho feito com algodão. Com este material, a bebida não tinha gosto amargo e preservava o sabor das folhas. Elas criaram a medida, porque acreditavam que seria uma ótima forma de evitar o desperdício de grandes quantidades do líquido.

Porém, a ideia das americanas não foi levada em consideração na época. Após sete anos da invenção, o importador de chá Thomas Sullivan começou a distribuir amostras grátis de suas folhas para seus possíveis clientes. Guardadas em saquinhos de seda, as ervas começaram a ser utilizadas desta maneira por se tratar de uma forma mais econômica, uma vez que assim não se precisa fazer a bebida em grandes quantidades. Ao contrário da iniciativa das irmãs, esta alterava o gosto final do chá, mas isso não foi suficiente para acabar com a “febre” que se tornou os chás de saquinhos.