Relatos e história sobre a origem do chá

Por Natália Petrin em Cultura, Outros, Plantas

O chá faz parte da rotina de diversas pessoas não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Seja apenas pelo sabor ou com a finalidade de medicamento natural, o consumo tem se tornado cada dia maior, mas o que muita gente não sabe é como os chás foram criados e desenvolvidos. Vamos descobrir?

A história do descobrimento dos chás

Existem muitas lendas que giram em torno do descobrimento dessa bebida tão apreciada, mas a lenda mais aceitável remonta aos tempos ancestrais na China. Cerca de cinco mil anos atrás, o imperador Sheng Nong, conhecido como “Curandeiro Divino”, tentava resolver uma incidência de surtos epidêmicos constante em seu reino. Com isso, foi criada uma lei: todos deveriam ferver a água antes de consumir.

Um certo dia, quando repousava sob uma árvore com sua água fervida, esperando que esfriasse para beber, percebeu que algumas folhas haviam caído na água, dando um tom diferente, mais puxado para o castanho. Resolveu experimentar e descobriu que possuía um sabor agradável. Com isso, acabou difundindo o consumo entre seus súditos.

Relatos e história sobre a origem do chá

Foto: Pixabay

Relatos sobre chás

A tradicional bebida preparada por monges budistas até os dias atuais era preparada com a planta camellia sinensis, muito cultivada no Himalaia. À época em que os budistas começaram a consumir essa bebida, estava no poder a Dinastia Tang, entre os anos de 618 e 906, aproximadamente.

Durante esse período, o monge budista chinês Lu Yu produziu (no século VIII) uma obra importante sobre o chá, que ficou conhecida como Ch’a Ching. Foram relatadas na obra as formas de cultivo da planta usada para o chá, e as melhores formas de preparo da bebida.

Alguns monges japoneses, em meados do século IX, levaram algumas sementes dessa planta para seu país, iniciando o cultivo e o hábito também no Japão. O consumo que antes era destinado somente aos monges, começou a ser usado em ambientes artísticos e religiosos, entre outros.

No Japão, atualmente, a cerimônia do chá é bastante séria. Os participantes devem se desconectar das preocupações do dia a dia e depois seguir o Caminho do Chá, conquistando um estágio de sensibilização da alma. O hábito de consumir o chá foi aprimorado por Sen Rikyu, mestre que transformou isso em uma filosofia existencial, em um ritual que é uma forma de transmutar a existência em arte.

Chá na Europa

Na Europa, a chegada do chá se deu por intermédio da Ásia Central, mas também da Rússia. Porém, foram os portugueses que disseminaram o consumo por todo o continente ao final do século XV. A mercadoria era transportada pelos navios lusitanos até Lisboa, sendo conduzida, a partir daí, para Holanda e França.

Os portugueses, no entanto, pouco tempo depois, perderam o privilégio e cederam o caminho para os cargueiros holandeses e franceses. Marco Pólo, famoso aventureiro, registrou em seus relatos e viagens referências ao chá.

O hábito de consumir chás, a partir do século XIX, se disseminou na Inglaterra e tornou-se tradicional, passando para os Estados Unidos, Austrália e Canadá, tomando cada vez mais espaço ao redor do mundo.